5a semana jornada da escuta

Minha escuta tem 2 níveis: um intelectual e um emocional.

O nível intelectual é o que reconhece as palavras e gestos a partir de uma linguagem comum aprendida e comporta múltiplos significados.

O nível emocional é binário, reconhece (0) segurança ou (1) perigo.

Relacionando com o sistema nervoso, seria assim:

escuta intelectual – sistema nervoso central

escuta emocional – sistema nervoso periférico autônomo (0) parassimpático e (1) simpático.

A multiplicidade de significados das palavras é infinita, porque depende da quantidade de palavras existentes, dos significados intrínsecos (etimológicos), dos significados históricos (usos) e dos individuais (o conteúdo da palavra pra cada um).

Apesar disso, no nível emocional/físico toda essa complexidade se resume a: estou seguro ou em perigo?

As palavras, por si sós, não são seguras nem perigosas. Quer dizer, as palavras não são coisas, mas apenas fazem referência a coisas, que podem existir ou não. Quando escuto uma palavra, associo a palavra à coisa e assumo que a coisa existe. Assim, reajo às palavras como se estivesse reagindo a coisas reais. Exemplo: “a janela está aberta”. Penso que existe “janela” e que existe “aberta” e reajo. Esse é um exemplo fácil, mas na maioria das vezes não sabemos a que coisas as palavras se referem; mas, mesmo sem saber, estamos reagindo.

Independente do que seja (infinitas possibilidades), a reação é muito simples: estou segura ou em perigo?

0