4a semana jornada da escuta

Eu não quero escutar quando meu co(r)po tá cheio.

Cheio de quê?

De emoções e pensamentos.

Tem que estar vazio para ouvir?

Não exatamente.. mas algo assim:

copo vazio = seguro

copo cheio = inseguro

Se estou insegura é difícil ouvir.. como se tivesse uma hierarquia de prioridade: primeiro o eu se apruma, depois recebe a novidade..

Em geral, e especificamente sobre escutar, percebo esse jeito “egoísta” de ser. Não no sentido pejorativo, mas de prioridade do eu em relação aos outros.

Eu disse que não quero ouvir para não “ter que” “resolver”.. acho que isso é como aparece quando a escuta está travada, ou seja, não é a causa de não querer escutar.

Não quero escutar, porque não estou segura. Minha atenção está focada no perigo imanente, mesmo um pequeno perigo de fundo falando baixinho em voz inaudível.

O que precisa para ter segurança? Isso é nebuloso e interessante… me movo em direção a essa segurança que não sei muito da onde vem..

2+