impressões seminário as one

17o Seminário AS ONE – MAIO/2020

Querido Universo,

Hoje é o último dia do “meu” primeiro Seminário AS ONE. Acordei agora, 5 da manhã, feliz e feliz e feliz de estar viva, estar presente, estar aqui.

Quando cheguei, esperava por mudança. Mudança essa que eu sentia nos irmãos mais velhos e pais da Vila (Paraíso). Acho que começo a entender dentro de mim tal mudança e como gosto de chamar, ‘estado de espírito’, mas que nem isso tenho certeza na escolha de palavras e termos. De qualquer forma, tudo o que experienciei aqui é um grande presente que enche a alma, talvez neste caso podemos chamar de essência, com algo mais puro que a ilusão da ‘vida em que vivemos’.

Houveram tantas descobertas feitas durante esta semana que mal sei por onde começar… Vamos do início então (início aquitempo em que ficamos mas pode mudar).

Primeiro, antes mesmo de chegar aqui teve o início do dia. Acordei turbulenta pois “não ia dar tempo” e para lidar com este sentimento, procurei por uma conexão familiar, uma amiga. O dia foi… Fuji passou em casa para me buscar. Comemos e chegamos fisicamente aqui. Logo após apresentações, onde estava me questionando a tudo e todos, já fizemos o exercício de dois círculos que sem um papel em cima eram diferentes, mas com o papel, eram iguais. Naquele momento eu pensei em coexistência como um todo mas agora refletindo isso inclue a cada um de nós, sendo diferentes dependendo do contexto mas iguais na essência.

Depois, fizemos um exercício/atividade (aqui estou usando ambas palavras como sinônimos) de escuta. Vimos e ouvimos uma entrevista e através do exercício ficou claro que a escuta é interna mais que externa. Tudo está em nossas mentes e isto foi reforçado ao longo da semana.

Sinceramente, houveram tantos penamentos, sensações, emoções durante a semana que me sinto incapaz de citar um cem ávos do que se passou dentro de mim. Em especial, talvez, foi a certeza que preciso mudar meus mecanismos, pensamentos. Não separar eu do ‘outro’ e ver a conexão constante. Não comparar-me ao outro. Sair desta mentalidade separatista com ênfase no ‘superior e inferior’, ilusões criadas e como que soliificadas no mundo atual em grande parte.

Penso que a partir das diretrizes do Método ScienZ, serei capaz de aos poucos ir me aproximando de minha essência e da essência do todo, junto também da Rede As One.

Acho que por hora é isto que consigo pensar e aplicar como escrita mas procurarei continuar anotando, escrevendo, refletindo, aplicando, desenvolvendo tudo o que foi trabalhado aqui.

Gratidão, gratidão, gratidão, por tudo que levou a esse momento presente.

Presente! O presente tempo e presente dado- faz sentido?… Aah..

Até a próxima, com muito carinho,

Yara Cabral-Seixas

Vila Yamaguishi, Seminário AS ONE, 5 de Junho de 2021.
1+