Relato Naikan 15-11-2018  

  • 1) A minha motivação de fazer Naikan
    As minhas motivações vieram depois que tive a maior e pior dor no meu coração, teve outros momentos que você se decepciona e se frustra, mas depois que a dor diminuiu  eu comecei a querer resolver este problema que eu sentia, foi buscando soluções. E aí comecei a perceber o quanto eu não me conheço, como será isso que funciona dentro de mim? Como funciona a cabeça ou o ”coração”?  Com isso foi minha foi me motivando a me conhecer como me relaciono com outras pessoas, como viver daqui para para a frente com esse “eu”.
  • 2)Coisas que pensei, percebi e refleti sobre mim ao fazer Naikan
    Entrei no Naikan com bastante anseio, raiva, revolta por causa do divórcio, culpa e tristeza por causa da perda do pai e também com bastante perspectiva que tudo isso seria resolvido.  E realmente foi muito positivo. Fazendo Naikan, relembrando todo o histórico das minhas memórias com a mãe, pai, Marina, Juliana, pessoas do Yamaguishi,  como se estivesse numa montanha russa montanha russa, muitas quedas e subidas, até sem saída e sem fim. Mas o método permitiu a me ouvir e olhar o “eu” e entender melhor como eu sou, como agi todo esse tempo, das minhas memórias das memórias de como fui formado o “eu”.  E com isso percebi que criamos muitas expectativas que fica tão grande que quando quebrado parece que uma bomba se explode e complica tudo.Refletindo após Naikan, percebi até mesmo antes do Naikan, eu já estava criando uma perspectiva dentro de mim e que quanto crio isso sem perceber. Mas fazendo Naikan, foi aliviador consegui entrar em outro estado,  diferente de antes do Naikan, e fico muito grato por todo trabalho e carinho por ter formado o “eu”
  • 3)Daqui para frente
    Pretendo me pesquisar mais e sempre lembrar do “eu” e me formei perceber esse eu e me ouvir com calma e carinho usando o método Naikan, como ferramenta e não como uma solução.  E a pesquisa continua…

 

Deixe um comentário