Concentrado da Academia, impressões

Hoje de manhã veio uma mensagem de zap do Okabesan para mim, quando eu vejo ela surge em mim um sentimento de resistência/antagonismo a ele.

Eu olho para eu sentimento que surge dentro de mim, penso que sou teimoso, cabeça dura, a partir disso tento olhar para dentro de mim e me perguntar o que eu realmente quero fazer?

Eu quero conseguir ouvir ele puramente.

Eu quero estar em um estado sem um muro em relação a ele.

Parece que meu sentimento de teimosia e antagonismo desaparece.

Ao ler de novo a mensagem dele foi muito doido. Quando leio a mensagem das pessoas meio que leio imaginando o jeito da pessoa falar, a entonação.

Depois de ver meu sentimento e tentar ler a mensagem de novo, minha maneira de ler muda completamente, leio sem o sentimento de resistência, antagonismo.

O que quero fazer?

Como quero estar?

O que será que meu coração original deseja?

Dessa vez eu pensei que isso seja o mais importante. 

0

programa de estágio 13/março a 12/julho – Parte 01

Minha motivação para vir:
Meu filho Felix está aqui, meu sobrinho Leo, o amigo do Brasil, o Diego.
Queria entrar em contato com eles no dia a dia na comunidade, especialmente no local de trabalho.
Queria conhecer o clima dos meetings, como era agora a cultura do ouvir mutuamente, do conversar mutuamente
Queria entrar em contato com a “sociedade” que pelos relatos de outros tinha começado a “tomar forma sem ter forma”.
Queria aprender sobre o que é “receber uma pessoa”, “preparar um ambiente que promove crescimento”, crescimento do sentido de a pessoa poder desenvolver e manifestar o que só ela tem, sem nada de submissão, forçação, mentira ou disfarce.
Tudo isso com o desejo na origem de eu mesma puder remover de mim aquelas partes adquiridas durante toda uma vida que se tornam obstáculos para viver de forma alegre, feliz e rica de verdade.
Um processo que iniciou nos últimos anos pelo intercâmbio com a As One Suzuka, e que se acelerou bastante através da minha participação nos cursos que o Ono san começou a zelar na nova Escola ScienZ no Brasil.
Quando meus amigos suíços planejaram a participação no Naikan aqui em Suzuka no começo de março, eu senti imediatamente a vontade de vir aqui e apoiar o Naikan deles com a tradução. Com o apoio dos amigos e da família no Brasil consegui fazer a viagem para chegar a tempo.

___________________________________

Depois da tradução e de acompanhar o casal de Suíços numa curta estadia aqui na As One em Suzuka, eu iniciei o programa de estágio ScienZ.
Foram 4 meses, participando diariamente nos meetings com os outros estagiários, tendo mini-meetings constantemente (num ritmo de 2 a 3 por semana), e participando de no total 6 cursos da Escola ScienZ.
Convivi com uma outra companheira do estágio em um quarto os 3 primeiros meses até ela terminar o programa dela.
Eu tive como local de trabalho a marmitaria, sendo recebida pelo Diego e um outro jovem que está cuidando da administração geral da marmitaria.
Trabalhei junto com os estudantes da Academia, jovens japoneses, coreanos e brasileiros, e adultos da Comunidade.

Continuando em breve….

0

relato dos últimos três meses [05/07/2020]

O Sakai San (cuida dos estudantes aqui) foi internado e no seu lugar veio o Sato San (membro do instituto de pesquisa) para cuidar da gente por um tempo. Quando ele chegou ele me sugeriu entrar no curso para conhecer o si, eu aceitei e fui.

Esse curso acabou e no dia seguinte teve uma semana de pesquisa concentrada dos estudantes da academia junto com o Ono San, e quando essa semana acabou logo em seguida começou um programa de reunião diária para rever o dia a dia e pesquisar o que aconteceu em si. O resultado dessa sequencia foi puder ver muita coisa que estava mascarada dentro de mim. 

Durante o conhecer o Si, ao me preocupar com o que as outras pessoas pensariam de mim, fiquei com um sentimento muito forte de insegurança. Durante a semana de reunião concentrada, pesquisando abertamente a minha relação com a Haruka, fiquei com medo de me separar, e surgiu um sentimento muito forte de insegurança. Durante a reunião diária, novamente preocupado com o que as pessoas pensariam sobre mim, surgiu novamente o sentimento forte de insegurança.

Até antes dessas semanas eu havia passado alguns meses bem tranquilo (na verdade, nao estava verdadeiramente seguro, só isso)
Fazia bastante tempo que não passava um dia a dia de maneira instável. Por mim sobrevivi, e acho que foi bom ter tido essa oportunidade agora. 

Pois eh, trabalhando esse tempo na marmitaria, sempre com muitas pessoas para fazer o trampo, participando de varias reuniões sobre o planejamento da empresa, realizando o encontro diário de pesquisa com os outros estudantes, olhando para essa parte aparente acabei acreditando que estava indo tudo bem. 

Quando tinha muita gente para trabalhar na marmita eu pensei, nossa eu gosto dessa coisa de pensar e fazer a escala semanal de quem vai trabalhar. De repente varias pessoas deixaram de vir, minha reação foi > ahh fudeu. Reagi dentro de mim tentando culpar o Takemich i (responsável geral da marmitaria).

Algumas pessoas falavam> Diego, ultimamente você tem crescido bastante como pessoa, tem mudado muito. Eu ouvi essas coisas e acabei estufando o peito, eh claro que de repente quando veem esses sentimentos de insegurança eu encontrei o chão.
Dar importância para a parte aparente, eh isso que acontece.
As rela coes amorosas né, fazem aflorar mais coisas que o trabalho. Eu vim me relacionando com a Haruka por alguns meses e mesmo percebendo em mim varias reações, medos, não trouxe esse material para as conversas como tema de pesquisa, por que sera? Quando chegou na semana de reunião concentrada despejamos tudo de uma vez. A gente veio trabalhando junto, mas recentemente o trabalho dela mudou para a fazenda (devido a dificuldade de trabalhar nós dois juntos nesse momento). Agora que ela não esta na marmitaria que eu posso ver o tanto de energia e atenção que realmente ia para esse tema enquanto ela estava por perto. Acho que os dois na relação, se não estão em um certo minimo de satisfação e tranquilidade a partir da base do coração, a relação vira uma amarração mutua.

Eu fui no curso para estar no ponto Zero pela segunda vez. Ao voltar no mesmo dia minha barriga começou a doer e enviei uma mensagem no grupo dizendo que queria descansar no dia seguinte. Achei que não tinha nenhuma preocupação de como iria ficar o trabalho em descansar de repente. Entretanto durante a noite tive uns três pesadelos seguidos que estava dando tudo errado na marmitaria. Os sonhos são honestos. Mesmo pensando que tudo bem não ir trabalhar, mesmo sentindo calma ao pensar que tudo bem não ir trabalhar, isso não revela exatamente o estado de coração atual. Nao eh o que se pensa ou sente, não eh a parte aparente.

Ao ir no zero dessa vez  acho que percebi um pouco mais a importância de olhar `como sera que esta meu coração`ao invés de tentar estar em tal estado. Nao eh sobre pensar que na verdade nao existem coisas que devem ser feitas. O mundo da verdade não se faz em palavras, em pensamentos. Acho que se conseguir conhecer um pouco mais isso eh possível avançar mais nessa direção. 

Quero ir cada vez assim mais leve e divertido mesmo ainda tendo diversas coisas dentro de mim…

0

dia 32- 4/13 programa de estágio método scienz

ポルトガル語

Depois de mais de 30 dias de programa de estágio ScienZ enxergo:
Meu estado atual:
Meu interesse não vai em direção ao real, ao fato.
O que me atrapalha, o que me impede, os obstáculos devem ser as ideias de certo e errado, de bom e ruim, de ter que fazer, de não pode fazer e a falta de auto-consciência que tudo isso é pensamento meu.
Agora é tentar enxergar cada vez mais essas ideias, sendo o mais aberta e honesta possível, e através do conhecer me libertar dessas amarras que eu mesma construo.
Não tem nada de “errado” neste meu estado atual. Mas eu quero viver do jeito como eu realmente sou.

英語
After more than 30 days of ScienZ kenshuu program I can see:
My current status:
My interest doesn’t go toward the real, the fact.
What gets in my way, what prevents me, the obstacles must be the ideas of right and wrong, of good and bad, of having to do, of not being allowed to do and the lack of self-awareness that all this are my thoughts.
Now I want to try to see these ideas more and more, being as open and honest as possible, and through knowing myself free from these ties that I build myself.
There is nothing “wrong” about my present state. But I want to live the way I really am.

0