『The dark side of the moon』

A banda inglesa que esteve em atividade nos anos 70 que se chama Pink Floyd.  São considerados os precursores de rock progressivo e mesmo hoje desperta interesse no mundo inteiro. Parece que mesmo os jovens como Diego também gostam, vejo ele ouvindo, é uma música que atrai pessoas de qualquer país em qualquer época.

O que pensei ouvindo o álbum [Dark Side Of The Moon] (1973) da banda.

– O lado escuto da lua, o outro lado da luz – Algo que está coberto,  bloqueado, sombrio e invisível,  tentar ver aquele lugar invisível, para que possamos nos encontrar… ” I’ll see you on the dark side of the moon” – Tudo o que a vida nos fornece, elas estão onde podemos obtê-las, mas as forças das trevas que nos cercam estão nos impedindo de agarrá-las”. Roger Waters.
「Time」「Money」- São essas idéias fixas que se tornaram obsessões,  criando ilusões e tornando invisíveis as coisas reais e verdadeiras. Não é o aqui, é o lugar onde não se pode ver agora, é na parte das sombras, no lado de trás é que estão as coisas reais … não seria isso?

Os conceitos, os pensamentos, as memórias, emoções, tudo isso são coisas do meu mundo particular apenas meu, e você tem o seu mudo particular apenas seu. No entanto, mesmo sabendo das diferenças de cada um, dizendo “OK, todos são diferentes, e está tudo bem assim”, se ficar paralizado cada um dando importância no seu mundo particular, as pessoas com pessoas vão permanecer separadas, as inquietação e a solidão não desaparecerão, não vai alcançar a verdadeira paz/tranquilidade/segurança.

Além do meu mundo e do seu mundo, existe um vasto mundo real que transcende o “eu” que produz minhas idéias, pensamentos, memórias, sentimentos e sensações. Não permanecer paralizado no meu mundo que eu penso, sinto, ao ver e ouvir, mas quero viver, ir em direção ao mundo real e verdadeiro que se expande, ir ao outro lado,  do lado de trás .

Talvez, só assim, pela primeira vez, eu possa encontrá-los

” I’ll see you on the dark side of the moon “

by – Mie Oshima (2019-03-19)

olhar a si – 21 a 24/dez/2019

vejo / ouço e experimentar colocar para fora “do jeito que vem” a reação daquele momento
preciso de muito esforço, fico intranquila

antes de colocar para fora as minhas reações “do jeito que vem” naquele momento, e mesma fico reagindo a minhas reações, por vezes abafando-as ou mudando-as.

começo enxergar aos poucos que ha um esforço aí
não consegui colocar para fora “do jeito que vem”
não queria mesmo é colocar para fora

não consigo admitir, não consigo aceitar esse eu que reagi dessa maneira
quanto mais penso comigo mesma que é vergonhoso, que isso não é bom, que isso é esquisito, torna se algo grande, pesado e rígido.

depois de acalmar/controlar a reação, me disfarço como se nada tivesse acontecido com um rosto de indiferente.

depois que a reação diminuiu, fui disfarçado de nada com um rosto frio

era um mundo em que estava me ajustando ao “eu que devo se assim”.

vejo, ouço, eu é que capto(apreendo) assim, e estou reagindo ao que estou captando.
lembrar-me bem e ver bem esse conteúdo
observar o eu daquele momento
colocar para fora desse jeito mesmo

como eu captei (apreendi)? o treino repetido juntos com todos, todo estão colocando diversas coisas

cada um é diferente do outro
as reações surgem naturalmente, de acordo com cada um
dentro da prática do treino repetido, começo conseguir estar do jeito que eu sou, esse eu que capto (apreendo) dessa maneira.

aquele eu que apenas olhou/observou o como captou naquele momento, vai ficando pequeno,  flexível  e leve.

ao experimentar observar do jeito que está, ao experimentar colocar para fora do jeito que está, existe o eu verdadeiro daquele momento..

sim existe mesmo…

naquele momento, o eu do jeito que está está vendo ouvindo e tocando aquele momento? como estou captando(apreendendo)?
ir olhando o eu de agora real, ir continuando ver a coisa em si do real

ir olhar a si, estando entre as pessoas, significa ir olhando essa pessoa,
pessoas com pessoas que se influenciam um ao outro, através dessa sobreposição.

cada uma das pessoas, cada um estar do jeito que ela é, essa imagem é linda, é um contentamento, desejo que continue assim

este curso não foi para o eu que devo ser de tal maneira,
tive a experiência de olhar a si para o eu de verdade

by  Ayako (2019.12.30)

encarar a si (no naikan)

o que é [encarar a si]
o objetivo dessa prática  é [conhecer a si]
ao [ encarar a si ]  = >  [conhece a si  ( processo para a autoconsciência ]

nesta prática de [encarar a si] tem duas faces:
① [olhar a minha situação atual]  [olhar bem, como está? o que acontece? como acontece? dentro de mim]
② perguntar a si (auscultar a si) [verdadeiramente, como eu quero fazer/ser?]

apenas com a prática dessas duas faces  ( ① olhar +② perguntar ) , é que se realiza/se concretiza o [encarar a si]

* no entanto, o foco principal da prática do [encarar a si]
deve ser o conhecer (ter a autoconsciência)  de [o que eu quero verdadeiramente fazer/ser]…

conhecer [ o que eu quero verdadeiramente fazer] significa conhecer o meu desejo real(objetivo), conhecer o meu desejo real (objetivo) significa [conhecer o verdadeiro eu]

[encarar a si] = [olhar a si] + [pergantar a si (auscultar)] ⇒ [conhecer a si]

by Ikawa

 

o Método ScienZ

Parece que a humanidade, compartilhou as regras e os conceitos de bem/mal feitas e estabelecidas com o “pensamento do ser humano”, veio mantendo e cumprindo continuamente por milhares de anos esse método que tenta sustentar a ordem pública através disso.
Nesse caminho se faz necessário a restrição e a coerção entre pessoas com pessoas, provoca opressão psicológico/espiritual no coração/mentedas pessoas, está fazendo gerar emoções de confrontação e alerta desde a infância.Pensamos que esta é a causa fundamental do problema humano, tais como os conflitos entre pessoas com pessoas.Na condição atual, é muito fortemente enraizada o pensamento de que é uma obviedade, ter emoções de confrontação e de alerta em relação a pessoas.

Também tem como óbvia, a necessidade do ser humano, da restrição e da coerção, compartilhando as regras e a noção de bem e mal. No entanto, através desse caminho, nunca vai cessar os conflitos, os delitos e desonestidades.

Enquanto se esforça tentando seguir obstinadamente as regras e os conceitos de bem/mal, e para isso tem como necessária as coerções e restrições, não vai desaparecer a repulsão e resistência entre as pessoas.

O que foi encontrado como um método/percurso para a realização da sociedade que pode viver de acordo com o que é o ser humano, é o Método ScienZ.

auto observação e pesquisa

 

auto observação – (observar dentro)
não é analisar ou explicar utilizando-se de conhecimentos

sim…
tenta-se expressar em palavras coisa que tem dentro de si
mas…
diz respeito a o que existe antes destas palavras

é a ação
que tenta auscultar o eu real (exatamente da maneira com está
que tenta observar o eu real (de jeito como está)

se falta esta parte
as palavras que saem da minha boca
deixam de ser reais

penso que está aí
a base de uma pesquisa/exame realmente significativo

Vila Paraiso Jan2019 – Preparando a mente e o coração

Dois dias antes receber as crianças do ViPa Jan2019, a equipe de zeladores/zeladoras, cada um/uma consigo mesmo, compartilhando o que dentro de si,  fazendo a pesquisa de como quer recebê-las. O que é paraiso? O paraíso seria um lugar físico, onde fica isso? Seria o ambiente humano? Lugar onde a pessoa (a criança) pode ser o que ela é? Mas será que eu estou sendo eu mesmo/mesma? Será que tenho dentro de mim algum [ tem que/tenho que ]?  [não pode] ?  A pesquisa continua….