Check Up 45

Hoje fui até a sala de preparo das verduras daí o Oksabesan falou: esse trampo aqui vai levar muito tempo,que serah que a gente faz? Daí eu fui conversar com o Kenji.


Perguntei se dava para fazer na maquina mas ele falou que os pedaços iam ficar muito pequenos e não rolava.


Daí eu insisti perguntando se nenhuma parte poderia fazer assim, então ele falou deixa quieto que eu mesmo faço.


Eu falei na reunião de check up que alguma coisa nessa conversa não tinha me satisfeito.
O Sugie san falou nesse caso ai você vira o Kenji e faz.


Na primeira hora eu boiei, não entendi o que ele tava querendo dizer.

Depois fui conversando junto com a galera e o que pensei foi que:


A questao eh que o Kenji estava planejando fazer alguma coisa, então o ponto é seu ao ouvir isso tento fazer de acordo com o que ele estava pensando.


Ao me imaginar trocar de lugar com ele parece ser mais fácil de entender.


Tem uma pessoa fazendo o planejamento, então ao ouvir isso acontece de eu tentar entender e fazer o que ele está planejando ou não.


Não me parece uma conversa sobre as ações, mas sobre um estado de coracao.

Acho que hoje ao invés de tentar entender o que estava sendo planejado eu fui pensar a partir das minhas circunstâncias, dos meus pensamentos.


Ontem teve a conversa sobre as coisas se tornarem coisas como se fossem minhas coisas, parece que a conversa eh a mesma. Fiquei pensando que minha compreensão deste estado sem barreiras ainda eh bem rasa.


Outra conversa

Hoje recebi como guia na marmitaria uma turma de colegial.


Os olhos daquela moçada, com brilho, leveza e pureza, deixaram meu coração cheio.


Nao eh a primeira vez, quando eu faço alguma coisa com jovens mais ou menos dessa idade tem alguma coisa dentro de mim que se movimenta de uma maneira diferente do comum no dia a dia. 

0